Ronaldo e a aposentadoria

14 02 2011

Apesar de fugir um pouco do tema desse blog esse assunto nos faz pensar: quando é a hora de parar?

É muito complicado definir, pois quem não é atleta não ganha uma fortuna e não pode decidir quando aposentar. Mas podemos decidir COMO vamos nos aposentar.

Quer saber como? Com planejamento!

"Note que reduzindo seu custo com batata-palha seu orçamento terá um ganho significativo"

Estamos sempre sujeitos a imprevistos, porém com um bom planejamento podemos ter resultados próximos do esperado. O maior exemplo disso é quando queremos comprar algo. Vamos fazer uma conta simples:

– Valor do bem: R$ 20.000,00

– Orçamento mensal disponível: R$ 700,00

– Tempo “juntando” para chegar ao valor do bem: aproximadamente 28 meses

– Financiando em 48 meses, juros de 1,5% A.M.: R$ 851,45 por mês, total de R$ 40.870,00

Ou seja, estoura o orçamento, fica apertado e ainda paga mais do que o dobro. Bom negócio? Parece que não.

Muitas vezes precisamos financiar algo, mas se puder, evite. E nunca, jamais, caia na roubada de pagar o mínimo no cartão de crédito. Jurinhos de quase 14% não são legais de pagar.

O que eu quero dizer com isso? Que você deve ser bom em planejamento. Planeje seu futuro, faça uma previdência privada, junte um dinheiro, e principalmente, cuide de sua saúde. Assim você poderá desfrutar de uma boa aposentadoria, viver bem e curtir a vida.

Em tempo: Ronaldo, obrigado por tudo! Pelo exemplo de superação, pela Copa de 2002 e por tudo que representou ao futebol. Sem dúvida um dos maiores que eu vi jogar, junto com o Zidane.

Anúncios




Antes da camisa da empresa eu visto a minha!

7 02 2011

Ao ler o título você deve ter pensado: o que ele quis dizer com isso?

Explico: foi-se o tempo em que um profissional devia simplesmente “vestir a camisa” da empresa, ou seja, ser 100% dedicado ao seu trabalho e ficar 20 anos na mesma empresa. Primeiro que hoje em dia é raríssimo encontrar alguém da nova geração (ou Geração Y, falarei mais futuramente) que tem como meta ficar tanto tempo em um lugar só. Segundo que eu não posso me dedicar só ao meu trabalho.

Quer saber o porque?

Hmmmmm, me explica isso!

O primeiro ponto que eu destaco nesse assunto é que vivemos um mundo de mudanças constantes. O que hoje é realidade, tendência, vanguarda, supimpa e bacana amanhã pode virar algo totalmente ultrapassado, ridículo, sem graça, porcaria. É, é assim que funciona. Temos uma infinidade de “lançamentos revolucionários” que hoje só servem para fazermos piada (sim, Google Wave, estou olhando pra você).

Então se vivemos em um ambiente tão volátil temos que ter uma capacidade de adaptação muito grande. E, para isso, temos que ter nossa mente aberta, aprender coisas novas, estar de olho em oportunidades que possam aparecer, ou seja, não dá pra ser bitolado no seu emprego atual!

E quando digo que visto a minha camisa, a da empresa vem depois, é isso que eu quero dizer. Eu preciso me desenvolver pessoalmente e profissionalmente. Preciso ter meu tempo de lazer, momentos em família, dar risadas e viver a vida para ter o corpo e a mente saudáveis. Preciso ter a capacidade de fazer escolhas, de sonhar meu futuro, e mais que isso, planejar onde quero estar.

Se eu atender esses pontos eu estarei 100% satisfeito comigo mesmo, e estando feliz eu tenho como ser um profissional muito melhor na empresa onde estou. Aí sim posso vestir a camisa da empresa e me dedicar ao máximo durante meu trabalho.

O que muita gente esquece é que temos sim que ter uma vida pessoal saudável. É comum vermos pessoas trabalhando 12 ou até 14 horas por dia, seja para “render mais”, seja para ganhar mais dinheiro. Mas isso compensa?

Adianta ganhar dinheiro e não ter tempo para aproveitá-lo? Gastar dinheiro com remédios depois, porque ficou tão estressado que ficou doente?

Pense nisso! Se você é tão chegado em vestir a camisa da empresa passe a se ver como EU S/A. Quem sabe você passa a vestir a camisa correta.